sábado, 16 de maio de 2009

Tudo ao seu tempo

Em casa, na cozinha, olhando o pote de doces:
- Eu quéio um pilito! Eu quéio um pilito!
O pior é que não tinha pirulito. Só balas e chocolates. Mas ele não se convenceu. Insistiu, chorou. E o pai lá, com ele no braço, na maior paciência:
- Vamos assistir a Luluzinha!
Nem assim. Eu, na TPM, espalhei os doces na mesa e mandei-o escolher. Ele não contou conversa. Escolheu umas balas e ainda achou um pirulito em forma de coração. Pegou tudo o que quis e, todo sorridente, virou-se para o pai e disse:
- Pônto. Agóia pósso ir!

Um comentário:

Vany e Noca disse...

Saudades desse povo.