sexta-feira, 24 de julho de 2009

Chá de Sumiço

Uma vez, assim que voltei ao trabalho, depois da licença-maternidade, um colega de trabalho me contou uma história sobre o filho dele. Disse-me ele que havia perdido a carteira com todos os documentos e cartões de crédito. Procurando, voltou a todos os lugares pelos quais havia passado e revirou a casa de cabeça para baixo. Sem êxito, cancelou os cartões, tirou novos documentos e esqueceu o dinheiro que perdera junto. Pouco tempo depois, encontrou a carteira dentro da caixa de som em sua casa, que seu filho jogara, brincando. Outro dia, o mesmo guri jogou o celular do pai pela grade do portão, no meio da rua. Desse dia em diante, a criança pegou a mania de esconder as coisas do pai: relógio, chaves do carro etc.

Ri muito ao ouvir essa história, sem saber que a próxima vítima seria eu. Desde ontem que procurava pelo meu celular. Lembrei que o vi pela última vez nas mãozinhas do Rei. Ia tomar, na hora, mas me passei e acabei esquecendo dele. Lembrei quando precisei colocá-lo para despertar e não o encontrei. Fui dormir, deixando para procurar hoje pela manhã. Também não achei. Olhei em vários lugares da casa, sem achar o bendito telefone. [Não, eu não tinha como ligar para ele e ninguém me ligou durante esse tempo].

Quando cheguei no trabalho, liguei para o telefone e, um tempo depois, o papai antendeu.

(Eu): E aí, onde tava o celular?

(Pai, sorrindo): Dentro daquele tratorzão...

Eu peguei nesse trator ontem. Coloquei-o de volta na caixa e depois em cima do guarda-roupa, com outros carros por cima, porque a criança não brinca muito com o trator e só lembra dele uma vez na vida... Fiquei pensando se a bateria do celular tivesse acabado. Ai, ai...

Outro dia, ele fez isso com a chave de casa. Quando o maridón perguntou pelas chaves, fomos procurar. Sabe onde ele encontrou: na paleta do Climatizador de Ar, com uma boa parte das chaves pelo lado de dentro e só uma pendurada pra fora. Quase, quase...

Está aberta a temporada de Caça aos Objetos.
QUERO MESMO É SABER QUANDO ACABA!!!

3 comentários:

Roberta disse...

Rá, ótima essa história. Adoooro. A Luísa tb vive escondendo meu celular e as chaves de casa na bolsinha dela.
Lembro uma vez que meu sobrinho arremessou o celular da minha irmã do 6º andar... sorte é que caiu no jardim do prédio e não deu perda total.
beijos

Vany e Noca disse...

Quero outro sobrinho...
Então preciso que ele esconda umas duas coisinhas ai...

Beijinhos

Val disse...

Roberta, essas crianças são realmente um perigo! E Vany, quem quer um sobrinho sou eu, viu!