segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Notícias do Reino

Estamos gripados. Eu e o Rei. O Rei e eu. Não levei ao médico ainda, porque parece apenas uma gripe alérgica por causa da mudança repentina do clima por aqui e uns pingos de chuva que ele tomou. Vou tratar 3 dias, de 6/6 horas, com Predsim [queria mesmo dar o Desalex, por ser mais fraquinho que o Predsim, mas era o que eu tinha no momento e teve que ser assim mesmo] e observar o resultado, porque com certeza, é isso que a pediatra vai receitar.
.
Também não estou gostando mais da escolinha dele. Chego lá um pouco antes do horário, o guri tá chorando e a professora querendo dar banho nele. Fiquei pensando: será que ela só dá o banho perto do meu horário de ir buscá-lo? E o xixi e o cocô? Será, realmente que ele tem feito no banheirinho? Afinal, as roupas estão voltando limpinhas. Só uma troca por dia. Hoje, a professora estava sentada à mesa e tinha uma menina sentadinha no chão, num choro piedosíssimo, sozinha e a professora lá, sentada, escrevendo não sei o quê. Ah, se fosse o meu filho. Dó demais!
.
O Rei ainda chora para não ir à escola. Toda vez que vamos levá-lo ele chora, pergunta para onde está indo, mesmo sabendo a resposta. Daí que hoje ele falou, chorando:
.
- Não quero ir pra escolinha não, mamãezinha...
.
Perguntei o motivo e ele disse:
.
- A tia fulana bate "ni mim".
.
Claro que não acreditei. Conheço a professora e ela seria incapaz, eu acho. Até porque, quando perguntei em que lugar ela batia, se era no pé ou na mão, ele só disse:
.
- Aqui, mamãezinha. Aqui.
.
Muito reticente, sem apontar para nenhuma parte do corpo. Invenção, é claro.
O que me preocupa é o fato dele chegar ao ponto de inventar esse tipo de desculpas para não ir à escola. Lá, ele chora assim que chega, mas se distrai logo em seguida e para de chorar. Ainda saio sem que ele me veja. Não é certo, eu sei. Mas não consigo vê-lo chorar por mim. É uma coisa minha, não consigo mudar isso.
.
No mais, mesmo doentinho, ele está cada dia mais sabido. Ontem à noite, me pediu para desenhar um carrinho pra ele:
.
- Desenha um carrinho rosa pra mim, mamãezinha.
.
Desenhei, mas ele não gostou:
.
- Não é um fusca não. Esse não é o meu carrinho, tá "icutando"?
.
E lá fui eu fazer um carro mais quadrado, para não parecer um fusca, porque pelo visto, para ele, fusca também não é carro!
.
Sem preconceitos, até porque ele adora o Fusca e tem vários modelos [de brincadeira, é claro].

Um comentário:

Vany e Noca disse...

Ele é muito novo pra escola mesmo!

E cuidem-se....

Amo vocês....