quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Rumo ao Trono

Se você se incomoda em ouvir falar de cocô, não leia esse post!

Então... Depois do pequeno cocô no penico, o Rei ontem deu mais um passo rumo ao trono. Perto das dez da noite, o papai sentiu um cheirinho assim, meio de 'pum' e comentou. Eu, ainda gripada, claro que não senti, mas perguntei se o Rei queria fazer cocô, que nesse instante já estava em pé, andando de um lado para o outro [e eu nem percebi que esse era o sinal, a senha para as necessidades fisiológicas do meu pequeno], ele respondeu que sim. Corremos para o banheiro mas, dessa vez, ele não quis o penico, queria sentar no vaso mesmo. Até comprei o adaptador, como já falei antes, mas ele que não se adaptou ao objeto. Pediu para sentar no vaso, coloquei direitinho e o fiz sustentar o corpo com suas próprias mãozinhas, uma de cada lado. Fiquei lá, pertinho dele, para evitar acidentes. E não é que deu certo. Meu Rei fez uma cobrinha e um jacaré* e depois demos tchau para eles, apertando o botão da descarga.

......
*Não lembro se já mencionei aqui, mas essa técnica de dar nome de bicho ao cocô aprendi com minha prima "Lêla". Eu a via fazendo com os filhos e achava engraçado. Hoje, me pego fazendo com o meu. Talvez seja errado mas, no meu caso, faz com que o ato de fazer cocô para o meu pequeno seja uma coisa natural, faz com que ele não se sinta envergonhado. Ele quer mais é produzir várias cobrinhas, jacarés, bolinhas ou lagartixas e dar tchau para eles.

2 comentários:

Vany e Noca disse...

Ecooooooouuu

Vany e Noca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.