terça-feira, 12 de outubro de 2010

Cicatrizes

Meu pequeno caiu! E cortou o queixo! E levou quatro pontos.
Saía do banho, coloquei a toalha por cima dos ombros dele, prendendo os bracinhos. Ele caminhou e pisou na ponta da toalha, que era grande. Caiu direto e, como os bracinhos estavam sob a toalha, ele não se protegeu com as mãos e foi com o queixo no chão. Na minha frente, diante de mim, eu só o peguei nos braços, olhei a boquinha para ver se tinha cortado. Nada, nenhum sinal de corte. E o sangue começou a pingar na toalha. E o queixo do meu guri estava esfolado.

Hesitei um pouco para levá-lo ao Pronto Socorro porque eu sabia que o médico ia querer pontear e eu não ia aguentar vê-lo sofrer. O maridón havia acabado de sair e eu não o vi pegando o celular, por isso não liguei. Pedi a minha tia para chamar minha mãe e foi meu pai quem veio. Levamos o pequeno ao PS. Arthur já estava tranquilo, pedindo para assistir, mas quando soube que ia ao hospital abriu o berreiro novamente. E quanto mais ele chorava, mais movimento fazia no queixo, e mais sangue saía. Lembrei de pegar o presente dele do dia das crianças, para ver se ele se acalmava. Funcionou um pouco, mas durante todo o percurso, ele só falava e chorava, e eu pedindo para ele ficar calado, para não chorar. E ele disse:

- Mãe, eu "peciso" te dizer uma coisa!

E eu:

- Tá, filho! Mas fala bem baixinho e bem devagar!

E abaixei meu rosto perto da boca dele, e ele disse:

- Mãe, você nem pegou no braço! Você deixou eu cair!

Aquilo me assustou! Expliquei que a mamãe pegou ele no braço sim, e que ele saiu pulando, por isso caiu. E que a culpa não era minha, que tinha sido um acidente! Mesmo assim fiquei encucada. E ele só pedindo para não deixar o médico dar injeção.

Já no PS, perguntei se era realmente necessário dar pontos, disseram que sim, só dois. Quando o médico avaliou, disse que seriam quatro. O que mais doeu (em Arthur e em mim) foi a anestesia. O médico furou em quatro lugares o rostinho dele, três pessoas segurando o pequeno e ele chorando:

- Minha mãe falou que não ia deixar dar injeção!!!

E eu chorando também. E meu pai tinha ido chamar o meu maridón, e ninguém chegava. E o guri me chamando, gritando, chorando. E eu só segurando os pezinhos dele, sem nem olhar para o procedimento que estava sendo feito. Não demorou muito, e em menos de 20 minutos tudo já havia terminado. Minha mãe chegou em seguida, também trazendo o presente que ela havia comprado pra ele para o dia das crianças.

E o guri chamando o médico de chato, de mal. Entrei no carro com ele e o médico veio até a porta do PS e pediu para a enfermeira nos entregar a receita de um antibiótico e um anti-inflamatório. E eu falei pro pequeno:

- Olha o médico ali. Ele está dando tchau pra você. Dê tchau pra ele.

E o pequeno virou-se numa raiva sem tamanho, e falou:

- Seu médico chato e idiota. Você não é bonzinho. Você é mal, muito mal. Muito mal mesmo!

E o médico lá parado, coitado, dando "tchau" para Arthur. Acho que ele não ouviu! Espero que não.

Já no carro o pequeno dormiu. E em casa continuou dormindo por mais uma hora, mais ou menos. Acordou pedindo água e para assistir ao desenho novo. Depois, fomos sair com ele um pouco.Dormiu bem a noite e até hoje - isso aconteceu no domingo, dia 10/10 - o pequeno não reclamou de nada.. Só estamos "pajeando-o", para evitar que machuque o queixo, mas ele não para quieto, diz que não está doendo nada. Esperávamos que quando o efeito da anestesia passase ele iria chorar. Imaginei que ficasse latejando, mas nada. Meu guri é fortão, não reclama de nada, tá se alimentando bem, brincando bem e dormindo bem, graças a Deus.

Ontem fomos ao circo com ele, que se divertiu demais! Ria de tudo, até do que não entendia. Aplaudia tudo e se admirava com cada malabarismo e com o globo da morte, dizendo:

- Uau, mamãe! Como ele consegue fazer isso!

Ele se olhou no espelho e disse que estava parecendo com "Seu Noel"!

As águas dançantes do Circo Portugal

Mais águas dançantes!

O globo da morte com seis motos dentro.

Aplaudindo o show no colo do pai.

Mostrando o queixinho para a foto!
De resto, ficaram algumas lições:

  • Nunca mais enrolo meu filho com a toalha por sobre os ombros. De agora em diante, sempre por baixo das axilas.
  • Nunca subestime a dor de uma mãe. Nessas horas, a gente é chamada de boba, de mãe de primeira viagem. As pessoas desdenham, dizendo que ele ganhou a primeira cicatriz e que corte no queixo é de praxe em todas as crianças. Que nada! Tudo dói, por menor que seja. Mas eu só agradecia a Deus por ser apenas um corte no queixo, fiquei pensando nas mães que estão com filhos internados, pós-cirgurgiados, ou em coma. Uma mãe não ficou para ver o filho sofrer. É contra a ordem natural da vida!
  • Tenha sempre algo novo em casa, seja um presente, um livro ou um filminho. Isso ajuda bastante!
  • Não se culpe. Nem permita que ninguém culpe você! Acidentes acontecem. No meu caso, agradeci a Deus por estar pertinho dele na hora. Seria diferente seu eu soubesse a notícia por outra pessoa, imagino.

4 comentários:

Ser mãe é viver constantemente feliz! disse...

Oi Val, quanto tempo! Tadinho do reizinho, deve ter sido uma dor né? Mas vc tá certa, nada de culpa e que bom que se divertiram no circo ajudou a aliviar um pouco a dor dele né? Agora foi engraçado ele xingando o Dr. e o Dr. dando tchau....kkkkk...bjs e feliz dia das crianças pra vcs....saudades de suas visitas em meu blog viu?

Flavia disse...

Judiação!

fiquei com dó do pequeno! E concordo com você que uma mãe não deveria nunca ver o filho sofrer...

bjs

Avassaladora disse...

Ai, isso dói realmente no coração da gente. Mas a gente supera! Força!!

Paloma disse...

Ai, flor, que dó de vocês dois. Que situação difícil! Eu mesma, hoje, levando a Isa pra tirar sangue, já fiquei com o coração apertado...imagino você! bjo
Paloma e Isa