segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Amor Filial

Há dois dias, fomos eu e o pequeno, para a rua, esperar o papai chegar do trabalho. O ônibus atrasou um pouco, e eu fiquei impaciente:
- Filho, vamos pra casa. O papai está demorando!
- Não, mamãe. Quero ficar esperando aqui só mais um pouquinho. Eu "adouro" meu pai. - disse o pequeno, todo agoniado.
- E por que você gosta tanto do papai? - investiguei, pra prolongar o tempo. E ele me responde, todo fofinho, enumerando nos dedinhos da mão:
- Porque ele me leva pra escola, me leva no hospital, pra costurar minha barriga, ele me leva no médico, ele é muito bonzinho...
- Só por isso? O que mais ele faz?
- Ah, mãnhêêê*. Ele faz muitas "ôtas" coisas boas pra mim.

Sei, sei... Puxa saco!


* ele agora está aprendendo a me chamar assim: manhê!

3 comentários:

Roquinha disse...

Manhê!!!!!!
Acho que às vezes subestimamos a inteligência dos pequenos, né, VAL???
Nessas horas lembro daquela propaganda (????) que todos fazim "Bilú, bilú, bilú...e o bebê, em pensamento, chamava todos de idiotas....risos
Ok, não lembrou???....faz muito tempo....eu era criança quando isso passava na TV

Kell Alves disse...

Rolou ciuminho aê...
E a história do manhê só veio confirmar. KKKKK

Letícia Volponi disse...

hahahaha...muito bom!