quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Pela metade

Daí que a gente viajou no feriadão e quando voltou, eu tinha o dobro de trabalho e, por isso fiquei distante do blog. Mas eu preciso registrar como o meu guri é um fofo quando viaja. Ele não dá nenhum trabalho, se comporta direitinho, não pede pra descer da cadeirinha, não chora, não esperneia. Nada, nada. E sempre foi assim. As birras desaparacem, ficando apenas aquelas coisas normais de uma criança de três anos e meio.

E nessa viagem (fomos para Caruaru e Recife-PE), o pequeno decidiu ficar com preguiça de falar. E falava tudo pela metade.

- Pai, cadê o cama? (em frente ao aquário do meu irmão, perguntado pelo camarão).

- Mãe, liga o computa.

- Vó, cadê minha chupe? (querendo a chupeta)

- Pai, quero cêre! (pedindo cereais)

Ele também aprendeu a defender a família. Minha cunhada conversando com ele, disse:

- Cadê o seu tio buchudo? (referindo-se ao meu irmão, que ficou barrigudo depois do casamento).

O guri deu um passo, pareceu arrepender-se, voltou e disse à tia:

- Ei, vou dizer à minha vó que você tá chamando o filho dela de buchudo!

Não sei como ele tem essa noção de que meu irmão é filho de minha mãe.

2 comentários:

Kell Alves disse...

Será q ele tava co preguiça de falar ou já está se aventurando pelo mundo das gírias? uashuuashua

Lia disse...

HAHAHAH!! Os franceses falam assim: Bon apétit é Bonap, Bon après-midi (boa tarde) é bonaprém, e por aí vai.